Publicidade

Publicidade

  • ùltimas

    quarta-feira, 9 de maio de 2018

    Durante Eleições 2018: Pedir voto em templos religiosos constitui crime eleitoral

    Mesmo sendo crime alguns lideres continuam pedindo votos de seus fieis durante os cultos.
    Com a chegada das eleições 2018, uma questão tem se levantado com preocupação por parte das autoridades públicas. As igrejas evangélicas brasileiras são comumente utilizadas como palanques eleitorais. Diversos candidatos já utilizaram o espaço cedido por pastores para apresentarem suas propostas de governo, pedirem oração e receber “bênçãos” dos líderes religiosos. Mas o Ministério Público Eleitoral alerta: a prática é considerada crime eleitoral.
    E o argumento é bastante simples: não é que a igreja não possa participar da política, mas quando um líder religioso abre espaço no templo para algum candidato, ele acaba influenciando de forma bastante dura a escolha dos fieis de sua igreja, que deve ser livre de qualquer pressão, inclusive a religiosa.
    Segundo o MP, a prática pode levar à cassação do registro de candidatura do político em questão, e o líder religioso pode ser responsabilizado por isso, e até multado, em decorrência do abuso de poder religioso.
    Mas embora a questão do conhecimento de que o ato em questão é ilícito não seja desconhecida pelos líderes, já que a campanha contra essa postura vem sendo duramente aplicada pelo Ministério Público desde eleições passadas, a prática tem sido reiteradamente feita nos principais púlpitos cristãos do país.
    Líderes políticos como João Dória (PSDB), Geraldo Alckmin (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) utilizaram os altares evangélicos para se promoveram, sob a tutela de líderes religiosos que os apoiam. Jair Bolsonaro (PEN), inclusive, participou do Gideões 2018, em abril, e discursou para uma enorme plateia evangélica, o que a lei veda.
    Durante a 36º edição do Gideões Missionários da Última Hora, o deputado federal Cabo Daciolo (PEN/RJ), que é pré-candidato deu uma mensagem bastante polêmica. Recebendo oportunidade para falar no sábado (28), afirmou que tinha uma mensagem de Deus,mas todos sabemos que foi apenas uma campanha politica para arrebatar corações do povo a sua voz.
    Começou ‘revelando’ que havia no altar muitas pessoas que torciam pelo insucesso do evento. Chamando o presidente Reuel Bernardino e o vice Hueslen Santos, Daciolo afirmou que eles tinham “a chave da vitória”, mas que eles precisavam tomar uma decisão.
    “Escuta o que Deus está falando. A primeira ordem que Gideão recebeu foi para destruir o altar de Baal. E Deus está dizendo ‘não quero pastores maçons em cima deste púlpito’”, disparou.




    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    0 comentários:

    Enviar um comentário

    Item Reviewed: Durante Eleições 2018: Pedir voto em templos religiosos constitui crime eleitoral Rating: 5 Reviewed By: Andre Carpano
    Scroll to Top